Blog Visão Geral - Você bem informado!

Nasa e Uruguai fizeram alerta de tsunami após recuo do mar no Sul do Brasil? Não é verdade!

Trata-se de um fenômeno raro e que causou prejuízos. Em Florianópolis, foi possível ver as bases das colunas de sustentação das pontes Colombo Sales e Pedro Ivo, que ligam a ilha ao continente. O mar recuou tanto que até a Hercílio Luz ficou exposta. Pelo menos 300 embarcações ficaram encalhadas.

No entanto, nem o Uruguai nem a Nasa alertaram para um tsunami na região, muito menos como consequência desse recuo. Isso porque os tsunamis têm origem diferente.

“Os tsunamis são formados por terremotos. Já o recuo do mar é originado dos ventos. Os processos de formação do tsunami e do recuo do mar são distintos”, explica a meteorologista Michele Fernandes, da Climatempo. Segundo ela, não há, portanto, como haver um tsunami originado do recuo do mar.

Recuo do mar

O recuo do mar ocorre quando há ventos de componente norte paralelos à costa do Brasil, soprando persistentemente e com forte intensidade. Essa corrente faz com que a água do mar seja “empilhada” para fora da costa, resultando no recuo das águas no litoral. Quando esses ventos diminuem, a maré volta ao normal.

 

Tsunami

Já os tsunamis são uma série de ondas em alto mar originadas por algum abalo, que normalmente é sísmico, ou seja, provocado por um terremoto. Ao chegarem à costa, as ondas aumentam de tamanho causando destruição em regiões costeiras.

Zika manipula sistema imunológico de grávidas

A gravidez é um momento especial na vida de uma mulher, e não apenas do ponto de vista emocional, com a perspectiva da maternidade. Neste período, seu corpo também passa por diversas modificações biológicas. Entre elas está uma diminuição da atividade de seu sistema imunológico para evitar que ele ataque o feto em desenvolvimento, especialmente nos dois primeiros trimestres da gestação. Isso, no entanto, a deixa mais vulnerável a infecções. E é justamente aproveitando esta vulnerabilidade que o vírus da zika suprime ainda mais o funcionamento do sistema imunológico das grávidas de um modo parecido com que o HIV, vírus causador da Aids, faz para se multiplicar e atingir o bebê, mostra pesquisa publicada ontem no periódico científico “Nature Microbiology”.

No estudo, cientistas liderados por Jae Jung, professor do Departamento de Microbiologia Molecular e Imunologia da Universidade do Sul da Califórnia, nos EUA, primeiro procuraram determinar como as diferentes linhagens do vírus da zika, africana e asiática, se comportavam no sangue de pessoas saudáveis. Assim, eles infectaram amostras retiradas de homens e mulheres, grávidas ou não, com entre 18 e 39 anos separadamente com antigos vírus africanos e versões asiáticas mais recentes, estas últimas associadas à epidemia que atingiu diversos países das Américas, o Brasil inclusive, nos últimos anos e que foram ligadas a casos de microcefalia e outras más-formações congênitas em bebês nascidos de mães que tiveram a doença durante a gravidez.

O experimento verificou que tantos os vírus africanos quanto os asiáticos atacam preferencialmente um tipo de célula do sistema imunológico conhecido como monócito CD14+. Mas enquanto as linhagens africanas induzem estas células a se transformarem principalmente nos chamados macrófagos M1, outro tipo de célula de defesa do organismo ligada a processos inflamatórios, os vírus asiáticos levaram estas células a se multiplicarem e diferenciarem em macrófagos M2, com ação imunossupressora. Isto porque estas células liberam no sangue substâncias conhecidas como citocinas, que sinalizam ao organismo que a infecção estaria debelada e é hora de se concentrar na reparação dos danos, diminuindo a atividade do sistema imunológico.

Segundo os cientistas, enquanto mulheres grávidas já têm níveis maiores de macrófagos M2 no sangue, cerca de 4% do total, exatamente para evitar que o sistema imunológico ataque o feto, esta proporção cresceu para 10% nas amostras de sangue infectadas com vírus africanos, e disparou para 70% nas que receberam as versões asiáticas do zika. E com as reações do sistema imunológico das grávidas ainda mais suprimidas, estas linhagens do vírus da zika conseguem se multiplicar mais e permanecer por mais tempo no organismo das mulheres doentes, atravessando a barreira da placenta para atacar os fetos.

— As mulheres grávidas são mais suscetíveis ao vírus da zika porque a gravidez já suprime naturalmente o sistema imunológico da mulher para que seu corpo não rejeite o feto, que é essencialmente um corpo estranho — resume Jung. — Nosso estudo mostra que as mulheres grávidas são mais suscetíveis à imunossupressão, e o vírus da zika explora esta vulnerabilidade para infectá-las e se replicar.

Diante destes resultados, os cientistas resolveram comparar seus achados com o sangue de 30 mulheres comprovadamente infectadas pelo vírus da zika durante a gravidez — dez em cada trimestre —, além de amostras de outras 15 grávidas que não foram atingidas pela doença, sendo cinco de cada trimestre. As análises mostraram que as mulheres infectadas apresentavam uma atividade anormalmente alta dos genes ADAMTS9 e FN1. O primeiro já foi associado a baixo peso nos recém-nascidos e partos longos e complicados, enquanto o segundo foi ligado a problemas no útero que levam ao desenvolvimento de bebês incomumente pequenos e pré-eclâmpsia, isto é, elevação aguda e perigosa da pressão sanguínea da mãe.

— Embora a microcefalia tenha recebido muita atenção, o problema mais comum (provocado pela infecção pelo vírus da zika na gravidez) é o desenvolvimento anormal do cérebro e a formação de acumulações de cálcio no cérebro dos recém-nascidos — destaca Jolin Suan-Sin Foo, pesquisadora do laboratório de Jung e primeira autora do artigo de ontem na “Nature Microbiology”. — Essas anomalias provocam danos cerebrais e atrasos no desenvolvimento dos bebê mesmo que eles tenham nascido com cabeças de tamanho normal.

Momento para desenvolver arsenal

Chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Instituto de Biologia da UFRJ, Amilcar Tanuri considerou o estudo “muito importante” por mostrar como as diferentes linhagens do vírus da zika provocam reações díspares do sistema imunológico, o que ajuda a explicar porquê a cepa asiática se tornou epidêmica. Além disso, a revelação de como o vírus “dribla” as defesas do organismo deverá ter impacto nas pesquisas e desenvolvimento de vacinas e tratamentos contra a doença.

— Qualquer vírus que possa manipular o sistema imunológico é mais preocupante, tanto do ponto de vista epidemiológico quanto no desenvolvimento de vacinas e tratamentos — diz. — Este artigo mostra que o vírus da zika de fato tem esta capacidade, o que serve como alerta de que precisamos acelerar a construção de um arsenal contra ele. Esta relativa “calmaria” após o fim do pior da epidemia é a hora para a gente desenvolver estas armas, pois o vírus ainda está circulando por aí e pode voltar a qualquer momento.

De acordo com Tanuri, uma das opções a ser levada adiante é a criação de remédios que diminuam a carga viral do zika no organismo, nos moldes dos usados nos coquetéis contra o HIV, de modo a evitar que o vírus atinja os fetos. Já com relação à vacina, o próprio líder da pesquisa, Jae Jung, lembra que todas alternativas em testes até agora não incluem grávidas em seus ensaios clínicos devido aos riscos do vírus para o bebê. Segundo ele, no entanto, esta é a população que mais pode se beneficiar do desenvolvimento do imunizante, o que faz com que seja necessária a avaliação de sua eficácia também nelas, já que a atividade de seu sistema imunológico é diferente.

— As vacinas em desenvolvimento para o vírus da zika parecem ser altamente eficazes, mas elas estão sendo testadas em mulheres que não estão grávidas, que têm uma química corporal diferente das mulheres grávidas — justifica. — É factível que a dosagem recomendada da vacina, embora eficaz para mulheres não grávidas, não seja potente suficiente para as mulheres grávidas pois seus corpos são mais tolerantes aos vírus.

Bacabeira realiza a VII Conferência Municipal de Saúde

Com o tema: “Saúde em Bacabeira: Acesso e Acolhimento para Todos” foi realizada nesta sexta-feira (18) a VII Conferência Municipal de Bacabeira. O evento foi organizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e ocorreu na Primeira Igreja Batista (PIB).

O secretário da Semus, Jefferson Calvet, disse que é fundamental o envolvimento da população na discussão e implantação das políticas públicas. “Este encontro tem o objetivo de discutir as ações de saúde que serão implantadas nos próximos quatro anos, além da eleição do novo Conselho Municipal de Saúde”, explicou.

Participaram do encontro a Secretária da Mulher de Bacabeira, Ivanilde Rêgo e a adjunta, Delcenir Santos; da Agricultura, José de Arimateia; os representantes do Conselho Tutelar, Noelson Rocha; da Gerência de Rosário, Wilian Anceles e a Secretaria de Saúde de Rosário, Viviane Arruda; das Igrejas, Gilson Moreira e a especialista em Gestão em Saúde e Auditoria e Planejamento em Saúde, Zeneide Pereira de Sousa, e o secretário adjunto da Semdes, Leandro Guimarães.

Escola Técnica de Bacabeira comemora 8 anos

O ETECBA comemora 8 anos e quem ganha o presente é você. Faça a sua matricula e aproveite os descontos especiais de aniversário que preparamos para você. Estude com quem entende de qualificação profissional e seja o próximo a entrar no mercado de trabalho. Para melhores informações basta ligar no 3346 -1042 ou acesse o site www.cesba.com.br

Lula inicia sua caravana pelo Nordeste

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está em campanha para as eleições de 2018 há meses, mas a partir de hoje intensifica sua agenda. Começa o tour pelo Nordeste, que deve durar até o dia 5 de setembro, e deve ser a primeira de quatro caravanas a serem realizadas até o ano que vem. As outras passarão por Sudeste, Sul e Centro-Oeste. A intenção é reeditar a Caravana da Cidadania, feita entre 1993 e 1994, que foram a 359 cidades.

Na época, a ideia foi considerada um sucesso, mesmo que Lula tenha perdido as eleições de 1994. Tanto que o ex-presidente passou a reeditar as caravanas sempre que achou necessário. Foi assim em 2001, antes das eleições que o levaram ao Planalto, quando visitou 47 cidades em sete estados. Agora, com o presidente condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro, se aproximar do povo, segundo a ótica petista, virou questão de sobrevivência.

Dessa vez, na agenda estão 28 municípios, em nove estados. Mas o percurso deve trazer mais polêmicas do que nas últimas passagens. A agenda feita às pressas, depois da condenação, que ocorreu no dia 12 de julho, está com diversos furos antes mesmo de o tour começar. O título de doutor honoris causa, que receberia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) no dia 26 de agosto foi cancelado por falta de tempo para organizar a solenidade, de acordo com a reitora Margareth Diniz. O título foi aprovado pela universidade em 2011.

Outra homenagem, o título de cidadão de João Pessoa (PB), que foi proposto inicialmente em 1997, também causa controvérsia. Como forma de protesto, a mesa diretora da Câmara municipal não estará presente na solenidade. Na Bahia, um vereador do DEM de Salvador entrou na Justiça para tentar proibir a Universidade Federal do Recôncavo de tornar Lula doutor honoris causa.

Lula fará o trajeto de ônibus, entre a Bahia e o Maranhão. Ontem ele recebeu uma boa notícia. Segundo pesquisa do instituto Poder 360, segue liderando as pesquisas para 2018, e ampliou a vantagem sobre os concorrentes: tem 33% das intenções de voto, ante 25% do segundo colocado, que agora é o deputado Jair Bolsonaro.

Ação Social promovida pela Prefeitura e Vale beneficia centenas de pessoas em Bacabeira

A Prefeita de Bacabeira, Fernanda Gonçalo, esteve presente na Ação Social promovida pela Prefeitura de Bacabeira e Vale do Rio Doce nesta sexta-feira (11), em Peri de Baixo, onde centenas de pessoas foram beneficiadas com atendimentos nas áreas de saúde, sociais e de lazer. A prefeitura disponibilizou transporte para que toda a população pudesse ter acesso aos serviços, que foram realizados no períodas 8 ás 13 horas.
Fernanda Gonçalo  estava acompanhada do prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo; dos
representantes da Vale, Gissele Pinto e Dorgival Pereira; do Engenheiro Civil, Celso Gonçalo, do vice-prefeito Bira Torres; do delegado Ednaldo Santos e dos secretários Jefferson Calvet (Saúde); Arimatéia Pires (Agricultura), Ivanildes Rêgo (Mulher) e Olga Calvet (Educação) e dos secretários da Semdes, Fábio Torres e Leandro Guimarães
A prefeita disse que ações como estas são importantes porque trazem atendimentos de saúde, jurídicos e sociais para perto da população que necessita. “Estamos sempre apoiando ações que venham a trazer benefício para a população de Bacabeira. Ainda este mês, estamos trazendo os Serviço Móvel do Viva Cidadão”, anunciou Fernanda Gonçalo. Durante a ação, a Secretaria da Mulher (Semu) levou orientações sobre busca de benefícios (auxilio doença, aposentadoria e salário maternidade).
 
        A Secretaria Municipal de Saúde levou atendimentos médicos com psicólogo, dentista, nutricionista, enfermeira, fisioterapeuta, fonoaudióloga, exames preventivos, testes rápidos de glicemia, hepatites, HIV, aferição de pressão arterial, entrega de medicamentos, corte de cabelo, limpeza de pele, recreação infantil, assessoria jurídica e orientação sobre doenças. O aposentado Raimundo Souza Barros aproveitou para consultar com o clinico geral. “Estava precisando e o médico hoje está pertinho de casa, aproveitei e vim logo”, disse o senhor de 74 anos. 
 
A Vale promoveu oficinas de plantio de hortaliças, de caixa de presente com embalagem tetra pack; de estojo com pet e tecido; de enfeites de cabelo com tecido; de produção de sabão com reaproveitamento de óleo e de culinária alternativa. Também teve esclarecimentos sobre Empreendedorismo, Maquinista Legal, Bombeiros sobre Segurança no Lar e Primeiros Socorros; Segurança Empresarial sobre riscos que envolvem furto e vandalismo na ferrovia; recreação, mini gincana, pintura na pele e jogos.

 

 

 

 

 

 

 

BOLSA FAMÍLIA TEM MAIOR CORTE DA HISTÓRIA: MENOS 543 MIL FAMÍLIAS EM 1 MÊS

O governo de Michel Temer passou a tesoura no Bolsa Família; em julho deste ano, o número de beneficiários do programa  teve o maior corte em relação a um mês anterior desde seu lançamento, em 2003:o número de benefícios encolheu em 543 mil famílias; o corte inclui suspensões para avaliação e cancelamentos; o número de bolsas pagas foi o menor desde julho de 2010, quando foram pagas 12.582.844 bolsas; se compararmos julho de 2014 com o mesmo mês de 2017, houve uma redução de 1,5 milhão de bolsas pagas.

Receita abre nesta terça consultas ao 3º lote do Imposto de Renda de 2017

A Secretaria da Receita Federal informou que serão liberadas nesta terça-feira (8), a partir das 9h, as consultas ao terceiro lote do Imposto de Renda de Pessoas Físicas de 2017. Este lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016.

Ao todo, serão pagos mais de R$ 2,8 bilhões para 2.062.878 contribuintes. Os depósitos serão feitos em 15 de agosto.

“Desse total, R$ 210.521.126,31 referem-se ao quantitativo de contribuintes de que trata o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99, sendo 45.576 contribuintes idosos e 6.555 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave”, informou o Fisco.

Consulta

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve fazer a consulta no site da Receita. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146.

A Receita também oferece aplicativos para tablets e smartphones, que permitem a consulta às declarações do Imposto de Renda.

Pela página da Receita o contribuinte também consegue acessar o extrato da declaração e verificar se foi para malha fina. Neste caso, o contribuinte pode fazer as correções necessárias e enviar uma declaração retificadora.

O prazo para envio da declaração de IR 2017 terminou às 23h59 de 28 de abril. A Receita informou ter recebido 28.524.560 de declarações.

 

Prefeito Luis Fernando lamenta a morte de João Chiador e decreta luto oficial

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, decretou luto oficial de três dias, no Município, pela morte na tarde deste domingo (06) de João Costa Reis, o João Chiador. Ícone da cultura maranhense, Chiador se consagrou como um dos cantores e compositores de toadas de bumba-meu-boi.

Desde 1993, João Chiador estava cantando no Boi de Ribamar, após atuar por 32 anos no Boi da Maioba. Nos últimos anos, ele estava travando uma batalha contra o diabetes e contra o Mal de Alzheimer. No ano passado, chegou a ficar internado por um longo período após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Em nota, o prefeito Luis Fernando lamenta a “perda irreparável de João Chiador”:

“A cultura popular ribamarense e do Maranhão sofre pela perda irreparável de João Costa Reis, o nosso João Chiador. À família, nossas condolências e toda homenagem e agradecimento dos ribamarenses a este homem que, em vida, levou o sotaque de matraca e as inigualáveis toadas aos arraias e palcos do Maranhão, garantindo o brilho e a alegria nos festejos juninos.

Por essas e outras justas razões decretei, nesta data, luto oficial por três dias no município de São José de Ribamar”

Luis Fernando Silva 
Prefeito

Alimentos gordurosos: os maiores vilões da saúde do coração

Os verdadeiros vilões da atual sociedade são os alimentos gordurosos aliados ao sedentarismo. Apesar de saborosos, o consumo descontrolado deles pode afetar o bom funcionamento do coração.

De acordo com o Ministério da Saúde, há mais de 40 anos, o brasileiro tem mudado para pior a sua alimentação. O consumo de alimentos embutidos e gordurosos como salsicha, frios e linguiça tem aumentado vertiginosamente. Para a instituição, a recomendação é que a gordura represente 30% da nossa alimentação. Desses 30%, apenas 7% pode ser de gordura saturada.

O clima faz toda a diferença, em baixas temperaturas, o organismo tende a preferir comidas mais fortes e pesadas, afinal os alimentos gordurosos são fortes aliados no combate ao frio.

“Esse processo é involuntário. Isso porque, com a falta de calor, o organismo exige mais energia para se aquecer. Energia esta que em sua maioria se concentra nos alimentos com mais gordura”, explica Dr. Élcio Pires Júnior,cirurgião cardiovascular.

As gorduras trans e saturadas elevam a pressão arterial, aumentam o colesterol total e o colesterol ruim (LDL) e reduzem o nível do colesterol bom (HDL), o que compromete o funcionamento de alguns órgãos, principalmente do coração.

“É preciso ter cuidado na quantidade de comidas gordurosas ingerida. Em excesso, podem afetar o coração. Para se ter uma ideia, a gordura saturada bloqueia a metabolização do colesterol ruim no fígado e sobra mais colesterol no sangue, o que entope as artérias, podendo causar infarto ou acidente vascular cerebral (AVC)” alerta o Dr. Élcio.

O ideal é que a maior parte do consumo de gorduras diário seja de alimentos ricos em gorduras insaturadas, pois elas servem como fonte de energia e auxiliam na absorção de vitaminas e nutrientes em geral. Tais como azeite, peixes, amêndoas, castanhas, nozes, pistaches, azeitonas, abacate, sementes de chia, girassol e linhaça.